segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Brotherhood: Final Fantasy XV BD/ Torrent + BlazBlue: Alter Memory Torrent

Olá, pessoal. Hoje temos duas coisinhas pra alegrar o dia de vocês. Para começar, a versão BD do Brotherhood: Final Fantasy XV. Nele, todos os episódios foram compilados em um único grande arquivo, como se fosse um filme (decisão que achei meio estranha, já que um episódio não tem nada a ver com o outro). Além da resolução aumentada, o BD também inclui algumas cenas extras entre os episódios, todas focadas na personagem Lunafreya (e todas bem dispensáveis, exceto a última). O download que disponibilizo abaixo é pelo Mega, pois não consegui enviar para o Mediafire. Sei que muitos andam tendo problemas com o Mega, por isso já incluí também um torrent (da versão 1080p, apenas), então acho que deve atender a todos. Em seguida, trago também um torrent do BlazBlue: Alter Memory, que tinha prometido há algum tempo. No pacote entram todos os episódios naversão BD 1080p e também todos os extras. Aproveitem!

Brotherhood: Final Fantasy XV (BD)
Download (Full HD 1920x1080): Aqui
Download (HD 1920x1080): Aqui
Download (640x360): Aqui
Torrent: Aqui

BlazBlue: Alter Memory (Torrent)
Download: Aqui

Comente com o Facebook:

12 comentários:

  1. Olá Mangekyou, não conheço a tua forma de pensar. Sei que tu é profissional de linguagens e talvez eu tenha utilizado expressões que distorceram a minha idéia pra ti. Vou tentar expor o meu ponto de vista de forma mais objetiva: afirmei que o nazismo é de esquerda e tracei alguns paralelos com outras políticas de esquerda. De fato, fui infeliz ao afirmar que ele ouvira de um professor, ele pode ter aprendido por iniciativa própria. Mesmo assim reafirmo ao dizer que a maioria dos professores que ensinam sobre o nazismo dizem que ele é de direita e citam que Hitler obteve apoio de empresários, da igreja e era conservador. Não acho que estes professores que pegam um fato e distorcem outro para beneficiar a sua ideologia são confiáveis, é necessário pensamento próprio do aluno. Não tiro as minhas informações da internet ou grande mídia. Leio livros diretamente dos autores, seja Marx, Lenin, Trótski, Orwell, Ayn Rand, Peikoff, Friedman, Von Misses ou o próprio Hitler (eu possuo uma cópia de Mein Kampf). E é necessário pensamento próprio de minha parte para que eu não saia concordando com todos. Acho a direita conservadora ruim porque quer controlar moralmente e ideologicamente com base no que "acha ser o certo" mas deixando a economia livre. E os liberais irracionais porque protegem o mercado interno criando leis de incentivo. Mesmo assim considero toda esquerda pior ainda. Os partidos de esquerda no Brasil não reproduzam ideais abertamente nazistas porque isso é crime, mas a base de princípios morais de todos eles é a mesma. Eu considero maligno qualquer forma de controle, seja moral, ideológico, econômico ou social. Também qualquer governo que queira fazer caridade com o meu dinheiro, como assistencialismo, eu considero mal. Eu sou favorável aos princípios objetivistas de Rand. Um professor pode ser um bom profissional mas ser moralmente mal. Assim qualquer forma de ensino que pregue que o homem é ruim por natureza, pregue igualdade, altruísmo, coletivismo, lugar-comum, abnegação ou que o homem deve pensar em seu semelhante antes de realizar algo de valor eu tenho preconceito. Se um professor ensinar que estes últimos princípios morais são virtuosos e fundamentais, e que autoestima, orgulho, ambição, individualismo, sucesso, habilidade, hierarquia, capitalismo, conforto material, herança, propriedade privada, tecnologia e indústria é ruim para a sociedade e se a pessoa for incapaz de utilizar a razão em qualquer argumentação eu também tenho preconceito, mesmo sendo um profissional de ensino. Ainda assim prefiro uma direita conservadora à uma esquerda moderada, não é uma questão de gosto, é uma questão de escravidão ou liberdade, de vida ou morte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Anon. Como eu disse, há bons e maus profissionais em toda área, por isso critiquei a generalização feita. É evidente que existem professores ruins, mas também existem muitos bons. E o fato de ele ter boa didática de ensino não garante que seja uma pessoa moralmente boa, claro. Quanto a isso, acho que estamos de acordo. Quanto ao restante, acho melhor nem discutirmos. Além de aqui não ser o local, já que o objetivo do blog é falar de games/ cultura geek, você mesmo já deixou claro que aborda determinadas ideologias com preconceito. Sendo assim, se você já vem com uma ideia pré-formatada, não há como fazer uma discussão saudável. A única coisa que gostaria de sugerir é que tente não pensar na política como um jogo de futebol, em que há time A e time B. Há muito mais coisa em campo. O governo, em tese, deveria ser para todos, e só não o é porque tratamos a política como esse grande campo de futebol, onde para um ganhar o outro tem que perder. Da mesma maneira, você não precisa ser "liberal irracional" pra defender algumas ideologias liberais. Não precisa ser esquerdista para defender alguma pauta tradicionalmente de esquerda. E muito menos precisa ser nazista pra apoiar programas de assistência social. Além disso, uma coisa precisa ser esclarecida: governo nenhum usa o "seu dinheiro" pra fazer "caridade". Em primeiro lugar, o dinheiro do governo é de todos, pois todos pagamos impostos. Em segundo lugar, atender às necessidades do povo não é caridade, é obrigação do governo, é pra isso que ele existe. Nada contra os princípios que você valoriza, eu também busco sucesso material e tenho ambições que quero realizar, porém lembre-se de que vivemos em sociedade; para o capitalismo funcionar, são igualmente necessários aquele que faz a oferta e aquele que adquire o produto. Se eles não possuem direitos minimamente equilibrados, o sistema rui. A sua maneira absurdamente individualista e egoísta de pensar não faz sentido nem dentro do sistema que você mesmo defende. Pense nisso.

      Excluir
    2. Olá Lydsson. Concordo que não é lugar pra este assunto, mas discutir o mal de forma que implique em neutralidade é sancioná-lo. No chat quando alguém iniciou o assunto ao falar do Trump (que eu não apoio) comparei expondo um paradoxo estatístico entre maldade do nazismo e comunismo: em números o nazismo matou menos pois durou menos, mas ambos são maus. Assim que alguém disse que nazismo não era esquerda não pude ficar calado. Associar nazismo à algumas idéias da direita (capitalismo, propriedade privada, direitos individuais) tem implicâncias no voto. Mesmo nerds possuem o poder do voto e a decisão errada pode ser fatal

      Aceito sua crítica sobre generalização dos professores

      Como posso não ter preconceito com uma pessoa que defende assassinato de milhões? Uma pessoa que tem profundo ódio pelo homem e justifica violência? alguém que defende escravidão dos mais produtivos a serviço dos menos produtivos? Que obriga cidadão a abrir mão de sua vida para servir sociedade? Não existem meios que justifiquem fins, nem assassinato ou escravidão necessária. Quem os defende e justifica é louco. Não é questão de discriminação, e sim de auto preservação: se vejo neo-nazistas, religiosos ou manifestantes extremistas eu caio fora. Se a vida é valiosa e o desejo do homem viver feliz e independente é bom, então tudo o que a ameaça é negativo e deve ser evitado

      Aqui divergimos. Defendo estado mínimo, um governo que limita à suas funções básicas: polícia, exército e tribunais. O uso da força só pode ser usado em retaliação contra quem iniciou a força primeiro. E não para tirar dinheiro das pessoas por meio de impostos

      Capitalismo não é só comprar e vender, países socialistas possuem comércio. É necessário geração de valor. Defendo capitalismo Laissez-faire: separação de economia e estado pelas mesmas razões da separação de estado e igreja. Estado laico garantiu convivência pacífica e harmoniosa. O capitalismo Laissez-faire é um sistema que exige e recompensa o melhor de cada um. Concedendo liberdade para a cooperação voluntária sem intromissão do governo

      Sou contra impostos, não reconheço o direito e não concordo com os motivos de um governo saquear a minha propriedade já que o estado não pode gerar riqueza. Então se sou mais produtivo que outros, se crio mais valor, se eu inventar um produto, tenho que pagar por ter sido o melhor? O dinheiro representa a produtividade individual, ao anular o seu valor afirmando que é um bem público, quem sai ganhando são aqueles que não conseguem dinheiro por merecimento próprio

      Quando falo individualismo é no sentido pleno, a natureza não nos forneceu meios automáticos de sobrevivência, o homem depende de sua mente para sobreviver e produzir. Não existe algo como "mente coletiva", "mente racial" ou "mente sexual". Há apenas mentes e realizações individuais. Se um indivíduo faz uma escolha errada ele sofre as consequências sozinho, mas se faz uma certa ele sozinho é beneficiado

      Quando falo egoísmo não é no sentido pejorativo, não é dane-se o outro e sim buscar aquilo que tu mais valoriza. Existe algo mais egoísta que desejo de lucrar? ou querer comprar o melhor produto? No capitalismo, se eu sou egoísta e quero lucrar tenho que fornecer o melhor, pois as pessoas que vão comprar também são egoístas e querem o melhor. Ninguém vai comprar meus produtos por dó, tampouco venderei mais barato por compaixão. O egoísmo é fundamental no capitalismo

      Mesmo que eu despreze as políticas morais dos conservadores (relações homoafetivas, religião nas escolas, favores a membros do clero). Ao menos as políticas econômicas permitem que eu viva com o mínimo de liberdade. Ao passo que a esquerda não reconhece propriedade privada, direitos individuais, controla a economia e escraviza os mais produtivos

      A maioria das minhas idéias vêm da filósofa Ayn Rand. Lydsson, gostaria de saber a fonte de suas idéias ou que autores tu poderia me recomendar. Deixo aqui um video dela https://www.youtube.com/watch?v=GP8mOC9_axs e um de Leonard Peikoff https://www.youtube.com/watch?v=EACfIypt8A4

      Excluir
    3. Olá, Anon. Novamente acho que a questão aqui não é a defesa de uma ou outra postura política, o que me incomoda no que você diz são generalizações que considero muito exageradas. Ou isso ou você está se expressando mal. Eu o critiquei por declarar que tem preconceitos e você se justificou, no último comentário, com "Como posso não ter preconceito com uma pessoa que defende assassinato de milhões? Uma pessoa que tem profundo ódio pelo homem e justifica violência? alguém que defende escravidão dos mais produtivos a serviço dos menos produtivos? Que obriga cidadão a abrir mão de sua vida para servir sociedade?" Veja bem, "uma pessoa" é diferente de "toda forma de ensino", que foi o que você disse antes. Além disso, "assassinato de milhões", "ódio pelo homem", "justifica violência", "defende escravidão dos mais produtivos (...)", "obriga cidadão a abrir mão de sua vida (..)", são todas coisas MUITO diferentes de igualdade, altruísmo, coletivismo, lugar-comum e abnegação, que foi o que você citou antes. Também, você disse que capitalismo "não é só comprar e vender". Sim, de fato, e eu nunca disse que era. Disse que "para o capitalismo funcionar, são igualmente necessários aquele que faz a oferta e aquele que adquire o produto", e isso é verdade. Não significa que é o único elemento em jogo. Sobre o individualismo, concordo com você e creio que deixei claro que tenho ambições e busco conforto material. Valorizo a liberdade de cada um poder ser e fazer o que quiser. Nesse ponto estamos de acordo. Como você disse, isso não significa "dane-se o outro", significa apenas correr atrás dos seus ideais. Mas me parece contraditório dizer isso e ao mesmo tempo dizer que "Há apenas mentes e realizações individuais." Não, não há. Nada do que fazemos é individual, pois vivemos em sociedade. Isso não significa reduzir a sua individualidade, não significa que você não tem mérito por criar um "produto melhor", como você disse, e tirar esse mérito de você. Significa reconhecer que sua individualidade tem limites e você não é o centro do universo. Voltando ao exemplo dos professores, você teria conseguido inventar esse produto tão bom sem uma boa formação ao longo da vida? Não posso afirmar que não, mas acho difícil. Ao lucrar com o seu produto, você divide os lucros com cada professor que já passou pela sua vida? Imagino que não, e nem deve mesmo, você adquiriu um produto (conhecimento) e fez uso dele. Isso é capitalismo. A troca já foi feita. Mas foi uma troca, houve dois lados (talvez até mais, já que quando criança provavelmente quem pagou pelo conhecimento não foi você, mas sim seus pais ou o governo, através de uma escola pública). Não é uma realização puramente individual. Tudo o que fazemos é influenciado pela sociedade à nossa volta, sejam familiares, amigos, professores, colegas de trabalho, mídia e o próprio governo. Não quer dizer que não temos individualidade, mas também é tolice dizer que não há influência do coletivo. Dizer isso é dizer "dane-se o outro", é dizer que ele não existe. Quanto ao governo, você disse que é contra impostos e defende o estado mínimo. Ok, mas mesmo um estado mínimo precisa de um mínimo para se manter. Não vou questionar qual forma de governo é a correta, nem se a maneira como a forma de governo atual aplica os impostos é adequada, isso já é outro assunto. Minha crítica à sua postura foi quando disse que não aprova quando o governo faz "caridade" com o "seu" dinheiro. O dinheiro público não é seu, é de todos; e a princípio, tudo que o governo faz deveria ser em prol do povo, já que ele não possui fins lucrativos. Então não é "caridade", é ele cumprindo sua função. Às vezes as medidas governamentais podem ser equivocadas, concordo, mas não generalizemos.

      Excluir
    4. É fácil defender o estado mínimo quando se está no topo da pirâmide, mas lembre-se de que há pessoas às quais nem os direitos mais básicos chegam, enquanto outras nascem em condições bem mais favoráveis. A meritocracia é linda no papel, mas reproduz violentamente a desigualdade social. É possível um pobre sem instrução “subir na vida”? Sim, sem dúvida. Ele tem as mesmas chances de realizar todas as suas ambições (materiais) que a filha da Xuxa? Não a meu ver. É fácil dizer "sou mais produtivo" quando se tem ferramentas à mão. Mas você produz sozinho? Quem produz mais, o dono da empresa ou os funcionários? E quem define se o salário que o dono paga é realmente proporcional ao que os funcionários merecem? Se você realmente não acha certo mandar o próximo se danar pelos seus objetivos, deveria pagar o justo, mas como se define o que é justo? Sem uma intervenção mínima do governo nesse sentido, suspeito que voltaríamos a ver a escravidão que você diz ser contra. Enfim, são apenas pensamentos e não quero de maneira alguma dizer que a minha forma de pensar é melhor que a dos outros. Como disse, minha grande crítica foi ver você generalizando demais as coisas, jogando tudo para um extremo ou outro. Não tenho a intenção de dissuadi-lo dos seus ideais (embora discorde com muitos deles), mas sua postura me pareceu reducionista demais, e isso sim me incomodou, especialmente quando falou dos professores. Assim como você disse que não pôde ficar calado quando ouviu sobre o nazismo, eu, que sou professor, senti a necessidade de me defender, pois me senti particularmente ofendido. Sinceramente, não tenho nenhum autor para lhe indicar agora, precisaria pesquisar. Leio e ouço coisas o tempo todo e não me atento muito a quem disse o que (é um erro, admito). Estou inteiramente disposto a debater mais o assunto, mas acho que aqui não é o lugar ideal. Nunca fui a favor de discussões políticas aqui no blog, pois acho que quem vem aqui procura outra coisa. Não vou censurá-lo caso queira postar mais, mas saiba que não responderei mais. Se quiser continuar a trocar ideias, meu contato está ali no canto, no perfil dos membros do site. Mande-me um email que poderemos trocar ideias eternamente. Aqui, porém, dou por encerrada minha fala (até porque, já escrevi tanto que precisei dividir o comentário; já deu).

      Excluir
    5. Olá Lydsson tb não discutirei mais. Nosso senso de vida é diferente

      Quero me desculpar se o ofendi ao generalizar professores. Reconheço q fui injusto e exagerado. Respeito e admiro muito o Mangekyou, já que ñ conheço o Lydsson. Lamento q a discussão tenha chego a este ponto e lhe dou razão em defender professores, tu está mais inteirado neste universo q eu. Em 2012 recusei uma proposta para ser técnico de ensino do SENAI e hj me arrependo mt, pois reconheço o valor da profissão

      Mesmo que tu não responda mais, tem coisas que gostaria de deixar registradas antes de dar por finalizado o assunto caso algum leitor esteja acompanhando a discussão

      Toda forma de ensino por várias pessoas: igreja, escola, pais, TV, propagandas políticas, conversas, livros, etc. Tenho preconceito com os irracionais q negam a realidade e ñ estão dispostos a observar a consequências de seus atos. Mas como disse não é discriminação, e sim autopreservação. Sou muito individualista pra me preocupar em odiar uma pessoa. Me ocupo em admirá-las. Não quis desfazer de tua profissão em específico, limitei os caracteres para encaixar em um único comentário e a falta de certas expressões ñ ficou legal

      Pessoas podem querer ajudar outras, mas isto ñ é altruísmo. Altruísmo é o preceito que o homem deve viver pelos outros para justificar sua existência abrindo mão de sua vida. Que o homem DEVE trabalhar, se preocupar ou ser responsável pelos outros. Eu digo que o homem é designado a sua própria felicidade e deve buscar sozinho, sem exigir que outros abram mão de sua felicidade nem abrir mão dela pelos outros. Aqueles que pregam o altruísmo não hesitam em sacrificar nações inteiras, milhões morreram em nome do altruísmo

      Quando falei de igualdade ñ disse qual. Igualdade perante a lei é bom e justo. Se o governo quiser igualdade social ou de classes ele viola a igualdade perante a lei. Desigualdade é metafísico: pessoas pensam, agem, vivem, tem capacidades e produzem diferentemente. Somente através da força, coerção e violação de igualdade perante a lei um governo cria igualdade de oportunidades

      Princípio comunista: De cada um segundo sua capacidade a cada um segundo suas necessidades. Isto é escravizar os mais produtivos a serviço dos menos produtivos

      Sociedade: nenhum homem é uma ilha, ele ñ pode acumular riquezas se ñ ter acesso a outros. Mas ñ pode obrigar ninguém a negociar com ele. Professores ensinarem é cooperação, nenhuma autoridade obrigou ninguém a me ensinar. Eles fizeram por vontade própria e talvez por amor à profissão. "Mente coletiva" não existe, se 99% da população pensa de um jeito não significa que estão certos. E o pensamento próprio que tanto falo inclui não se submeter à esta influência sem utilizar da capacidade racional. Se apoio certa filosofia é porque usei de reflexão e discernimento. Pouco me importa influência de outros

      Nunca assumi nenhuma obrigação com ninguém. Antes do dinheiro ser "público" ele era meu. Mas se eu conquistei meu dinheiro com meus esforços, o que justifica eu não ter o direito de ficar com ele? Sabe o que o governo faz comigo se não pagar impostos? Usam a força

      Não defendo meritocracia, defendo um sistema que qualquer um é livre para atingir todo seu potencial, com instrução ou não. Se um pobre não instruído escrever um livro ruim e cair nas graças do povo, que seja rico e feliz. Mas ninguém pode exigir que ele ou outros abram mão de suas conquistas. Nem que a filha da Xuxa se sinta culpada pelas conquistas de sua mãe. Se ela não possuir qualidades que teria para conquistar sua herança sozinha sem a mãe, ela perde tudo rapidinho. Observe astros de Hollywood

      O que penso sobre o capitalismo está no meu comentário e nos vídeos que linkei acima

      A quem estiver interessado no meu ponto de vista recomendo "A Revolta de Atlas" por Ayn Rand. Que curiosamente o Game Theory ainda não fez um vídeo a respeito, já que Bioshock é todo baseado no livro e o criador do game se declarou fã. Um dos personagens do jogo é uma versão masculina de Ayn Rand, mas não vou dizer qual pra não dar spoilers

      Excluir
  2. Valeu pelos episódios do FFXV BD mas preciso de seed!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alex, eu fico de seed sempre que possível, especialmente nos finais de semana. Espero que já tenha conseguido baixar.

      Excluir
  3. Vocês pretendem continuar trazendo o Shift phase 3 ?

    ResponderExcluir